Afogados da Ingazeira fortalece Sertão na vitrine

Afogados da Ingazeira fortalece Sertão na vitrine
Junto com o Salgueiro, também classificado para a semifinal do Estadual, Afogados desafia hegemonia dos grandes
Foto: Kleyvson Santos/Folha de Pernambuco
O Campeonato Pernambucano entrou em sua reta final, e pela primeira vez dois clubes sertanejos estarão juntos nas semifinais. Figura carimbada nesta fase do torneio em seis das últimas sete edições – a exceção foi 2013 -, o Salgueiro ganhou companhia. Depois da façanha de eliminar o Santa Cruz na quarta-feira, nos pênaltis, em pleno Arruda, o Afogados brigará com o Náutico por uma vaga na decisão. “É um feito valioso para toda a região do Pajeú. A cidade depois do jogo entrou em festa com a classificação. Fizemos uma grande passeata, e só se fala nisso por aqui”, destacou o presidente do clube, João Nogueira.

Caso conquiste o título Estadual em 2019, o Afogados conseguiria uma façanha jamais alcançada por um clube do Interior. Das 104 edições disputadas em Pernambuco, os times do Recife ficaram com o caneco em todas as oportunidades. Representando o Agreste, Porto e Central foram vice-campeões duas vezes cada, assim como o Salgueiro, do Sertão. Nas últimas quatro decisões, três tiveram representantes de fora da Capital: Salgueiro em 2015 e 2017, e Central em 2018.

Além do Carcará e, agora, Afogados, outros dois times do Sertão pernambucano também já figuraram entre os quatro melhores, quando a competição tinha outra fórmula de disputa (os primeiros colocados do turno e returno se enfrentavam na decisão). Em 2004, o Itacuruba ficou em 4º. No ano seguinte, foi a vez do Serrano, atual Serra Talhada, ficar atrás dos três grandes.

A Coruja participou pela primeira vez da elite do futebol pernambucano em 2017, quatro anos após a sua fundação, em 2013. Apesar da péssima campanha, sobreviveu ao antigo Hexagonal da Permanência e se manteve na 1ª divisão. Sexto colocado na primeira fase da edição deste ano, o Afogados se espelha no Salgueiro, hoje apontado como a quarta força do Estado, para alcançar voos maiores. Desde a década de 60, o posto era ocupado pelo Central, de Caruaru.

“O que o Salgueiro vem fazendo é algo de se tirar o chapéu. Já chegou em final, bateu de frente com os grandes, e é isso que queremos atingir. Sabemos das dificuldades que encontraremos, mas vamos em busca desse feito (eliminar o Náutico). Apesar de termos menos de seis anos de fundação, fazemos um trabalho responsável no dia a dia”, declarou o mandatário.


Já garantido na Série D de 2020, o Afogados agora busca a classificação para outra competição nacional: a Copa do Brasil. Caso consiga chegar à decisão do Estadual, garante vaga no torneio mais rentável do País pela primeira vez em sua curta trajetória. “Eu não esperava que chegaríamos a esta fase do Pernambucano, com toda a sinceridade. A meta era brigar para se manter na primeira divisão, mas já conseguimos uma vaga para o Brasileiro, e vamos em busca de uma para a próxima Copa do Brasil, algo que seria histórico para nós”, completou João Nogueira. (PorFolha de Pernambuco)

Postar um comentário

0 Comentários