Brumadinho tem risco iminente de novo rompimento; comunidades são evacuadas

Um avião com 130 soldados saiu de Jerusalém, Israel, em direção ao Brasil às 6h da manhã deste domingo (27), no horário de Brasília, para ajudar nas buscas em Brumadinho (MG). Os trabalhos começarão na segunda-feira (28) e terão duração de uma semana, segundo o governo de MG.
Brumadinho tem risco iminente de novo rompimento; comunidades são evacuadas
Reprodução/Twitter/Forças de Defesa de Israel
De acordo com a embaixada de Israel no Brasil, o avião chegará às 21h30 deste domingo. Já o aeroporto de Confins, em Belo Horizonte, diz que a chegada está prevista para as 23h.

Além do grupo de soldados, Israel enviou ao Brasil cães farejadores e sonares usados em submarinos para localizar pessoas em grandes profundidades, com alta qualidade de recepção de imagem e detectores de vozes e ecos. São cerca de 16 toneladas de equipamentos.
Brumadinho tem risco iminente de novo rompimento; comunidades são evacuadas
Reprodução/Twitter/Forças de Defesa de Israel
Atualizado às 14h46
Buscas são retomadas, e moradores são liberados para voltar para casa em Brumadinho
As buscas por sobreviventes em Brumadinho (MG) foram retomadas na tarde deste domingo após não haver mais risco de rompimento da barragem 6, que fica ao lado da barragem 1 da Mina do Feijão, que se rompeu na sexta-feira. De acordo com o Corpo de Bombeiros, os moradores desalojados após a sirene de alerta ter sido acionada já podem voltar para suas casas. Cerca de 3 mil pessoas foram levadas para a região mais alta da cidade.
Segundo o último boletim da Defesa Civil de Minas Gerais, divulgado no início da tarde, 361 pessoas foram localizadas, 192 foram resgatadas da lama e 287 continuam desaparecidas. Já foram registradas 37 mortes. O Corpo de Bombeiros vai divulgar ainda hoje uma lista unificada com o nome dos desaparecidos.
O telefone 0800-2857000 foi disponibilizado para que parentes informem ao poder público o nome de desaparecidos para serem incluídos da lista oficial.
Atualizado às 13h43
Mais de 20 mil pessoas já foram evacuadas após risco de novo rompimento
Segundo Corpo de Bombeiros, cerca de 3 mil pessoas ainda precisam ser retiradas de regiões de risco; buscas por vítimas ainda estão interrompidas.
Em comunicado oficial, a Vale informou que as sirenes foram acionadas depois que um aumento dos níveis de água na barragem VI, que faz parte do complexo de Brumadinho , foi identificado.
Brumadinho tem risco iminente de novo rompimento; comunidades são evacuadas
Presidência da Republica/Divulgação
Atualizada às 08h50
Número de mortos em Brumadinho sobe para 37
O porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, Pedro Aihara, informou na manhã deste domingo que o número de mortos com o rompimento da barragem em Brumadinho aumentou para 37
As sirenes de alerta tocaram em Brumadinho na manhã deste domingo, às 5h30m, e moradores começaram a deixar suas casas em pânico. De acordo com informações preliminares, outra barragem estaria em risco. Em nota, a Vale afirmou que a sirene foi disparada devido ao aumento dos níveis de água na barragem 6, uma das que compõe o complexo de Brumadinho. De acordo com a empresa, a população da região está sendo deslocada para pontos previstos no plano de emergência. Os bombeiros interromperam as buscas para se dedicar à evacuação dos moradores de suas casas.
Brumadinho tem risco iminente de novo rompimento; comunidades são evacuadas
Foto: Daniel Marenco / Agência O Globo
Brumadinho tem risco iminente de novo rompimento; comunidades são evacuadas
O Corpo de Bombeiros afirmou, na madrugada deste domingo (27), que existe “risco iminente” de rompimento de outra barragem em Brumadinho (MG). Por volta das 8h, equipes faziam a evacuação das comunidades Córrego do Feijão e Tejuco, que ficam próximas à barragem 6, também pertencente à Vale.
Segundo o porta-voz da corporação, tenente Pedro Aihara, a barragem possui água e fica próxima à que cedeu na sexta-feira (25). Ela estava sendo drenada pela Vale para evitar uma nova ruptura desde a noite de sábado, quando as buscas foram interrompidas. O monitoramento está sendo feito a cada uma hora, juntamente com a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros.
Em nota, a Vale informou que acionou as sirenes às 5h30 “ao detectar aumento dos níveis de água nos instrumentos que monitoram a barragem 6”. Enquanto a sirene tocava, um alto-falante pedia para que a população buscasse áreas mais altas da cidade.
A região que está sendo evacuada tem cerca de 25 casas. Os moradores do bairro Parque das Cachoeiras foram levados para áreas mais altas dentro da própria comunidade –a medida está prevista no plano de emergência de barragens.
A B6, como é conhecida a barragem do complexo da Vale no Córrego do Feijão, tem capacidade para 1 milhão de metros cúbicos, enquanto a que rompeu na sexta-feira tinha capacidade para 12 milhões de metros cúbicos. O papel dela é a recirculação de água –a que rompeu na sexta-feira acumulava rejeitos.
A nota da empresa diz ainda que “a Vale continuará monitorando a situação, juntamente com a Defesa Civil”.
As buscas a vítimas do rompimento da barragem tinham sido interrompidas às 20h deste sábado, por medida de segurança, justamente para a drenagem. A operação seria retomada às 4h deste domingo, mas as buscas foram adiadas, já que as equipes estão priorizando a retirada das famílias na área de risco.
Ainda segundo o tenente Aihara, o espaço aéreo da região, a partir de hoje, ficará fechado para aeronaves em geral por determinação da Aeronáutica. O objetivo é facilitar ações de resgate. “Somente aeronaves envolvidas nas ações de resgate podem sobrevoar o local”, disse o porta-voz.
34 mortos e 296 desaparecidos
O último balanço divulgado pelas autoridades na noite de sábado confirma a morte de 34 pessoas. Outras 296 pessoas estão desaparecidas. Há ainda 81 desabrigados e 23 sobreviventes hospitalizados.
Para auxiliar o trabalho de busca por vítimas, a Justiça mineira conseguiu uma liminar obrigando empresas de telefonia a fornecer dados sobre sinal dos celulares de pessoas que estavam na região da barragem.
Com o novo número de mortos, a queda da barragem em Brumadinho na sexta-feira já fez mais vítimas que o desastre ambiental de Mariana, em 2015, que deixou 19 mortos.
Militares israelenses embarcam em direção ao Brasil para ajudar nas buscas em Brumadinho
Brumadinho tem risco iminente de novo rompimento; comunidades são evacuadas
Soldados da Forças de Defesa de Israel — Foto: Reprodução/Twitter/Forças de Defesa de Israel Um avião com 130 soldados saiu de Israel em direção ao Brasil às 6h da manhã deste domingo (27), no horário de Brasília, para ajudar nas buscas em Brumadinho (MG). O reforço deve chegar às 23h, segundo o aeroporto de Confins.
Além dos soldados, Israel enviou ao Brasil sonares do mesmo tipo usado em submarinos para localizar pessoas em grandes profundidades, com alta qualidade de recepção de imagem e detectores de vozes e ecos. Cerca de 16 toneladas de equipamentos estão sendo trazidas.
 O governo israelense enviará também uma equipe médica, especialistas e engenheiros.
A missão é chefiada pelo embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley. Ele estava acompanhando a visita a Israel do ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, mas foi encarregado pelo premiê Benjamin Netanyahu para comandar a delegação.
Em uma publicação feita no Twitter, as Forças de Defesa de Israel disseram que “a distância não importa quando há vidas para serem salvas, mas sim o quanto se está disposto a ir salvá-las”
Brumadinho tem risco iminente de novo rompimento; comunidades são evacuadas
Delegação de Israel reunida momentos antes do embarque em direção a Brumadinho, MG — Foto: Reprodução/Twitter/Forças de Defesa de Israel 
Fonte: Uol

Postar um comentário

0 Comentários